quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Estado de um partido só

Efeito de se manter um partido por tanto tempo no poder: o PT pôde mudar a composição do STF para torná-lo um tribunal agora com maioria pró-governo. Decisões que foram tomadas no julgamento do mensalão por outros ministros foram derrubadas hoje pelos novos magistrados. Em doze anos, além de aparelharem as estatais, terem buscado o controle do Congresso através da compra de parlamentares, conseguido maioria no Legislativo por meio de uma coalizão com amplo espectro ideológico baseada na troca de favores, agora eles também controlam o Judiciário! O Estado finalmente se fundiu com o partido, como era seu maior desejo.

O pior de tudo é saber que as perspectivas não são nada boas, uma vez que inexiste oposição real no Brasil; existe apenas um grupo incapaz de apontar os (claros) erros e defeitos do governo, cujo único objetivo é assumir o poder. Nosso país não precisa apenas de uma troca de bastão, com o risco de uma guinada à direita. Precisamos é de mudança na classe dirigente, novas ideias e, mais que tudo, um novo sistema político, com mais representatividade.

Já foram doze anos, com possibilidade de se tornarem 16 e mais... O Brasil não merece ter seu destino e futuro subjugados pelos interesses de um grupo.