sábado, 13 de setembro de 2014

Estado laico?

Uma pena que no nosso presidencialismo de coalizão os candidatos tenham que se ajoelhar ou se curvar perante os líderes de igrejas evangélicas. Esta situação empobrece o debate, jogando-o para o obscurantismo e impede o avanço da agenda progressista.

Acredito que não se deveria nem dialogar com estes grupos, já que eles não propõem soluções para resolver os problemas da economia, melhorar a qualidade da educação, da saúde. Tudo o que eles desejam é exercer influência para impor seus dogmas, restringir direitos civis e liberdades individuais. Assim, eles ajudam a construir, ao lado dos ruralistas e tantos outros representantes de "lobbies" patéticos, o mosaico de figuras horripilantes que tem se tornado o nosso Congresso Nacional e este processo tem se acentuado a cada eleição que passa.

Não vejo solução no horizonte, uma vez que nesta nossa democracia incipiente as pessoas não conseguem separar muito bem a esfera privada daquilo que é de interesse público nem compreendem o conceito de laicidade.

Talvez o parlamentarismo pudesse ser uma opção, mas não estou certo disso...

Enquanto isso os políticos vão precisar peregrinar ao Templo de Salomão ou temer a ira de uma figura abjeta como Silas Malafaia. Pobre Brasil!

Nenhum comentário:

Postar um comentário