sábado, 13 de setembro de 2014

O real e as relações entre Presidente e Congresso

O partido do atraso lançou no horário eleitoral a ofensiva do medo contra Marina. Insinuou que por não ter atualmente a maioria no Congresso Nacional, a governabilidade de um possível governo de Marina seria inviável e conclamou os brasileiros a abandonarem os seus sonhos e voltarem à "realidade".

O fato é que a realidade tal qual o PT a apresenta é tudo o que vem sendo FORTEMENTE REJEITADO por grande parcela da população brasileira. Eles defenderam claramente que para governar é preciso fazer o jogo do toma-lá-dá-cá. Até parece que não estão entendendo o recado que a sociedade está mandando: NÃO aceitamos mais esse modo de fazer política baseado na divisão de cargos e orçamentos.

Marina não é Collor (esse sim aliado do PT e da Dilma) nem Jânio. Ela tem uma carreira política sólida e respeitada mesmo por seus adversários, construída após muitos anos de luta e serviços prestados à nossa democracia.

Quando a "realidade" passa a ser insuportável, é preferível apostar, mudar e acreditar que ela possa ser diferente. É o que está acontecendo neste momento: o Brasil quer construir uma nova realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário